Preparando para o Futuro

Quer saber como o SESI e o SENAI estão se preparando para o futuro e como isso pode mudar a sua vida? É fácil: acompanhe as edições da nossa revista digital. Você vai encontrar reportagens multimídia sobre educação, inovação e muita tecnologia!

Novas tecnologias garantem a saúde e a segurança do trabalhador

Centros de Inovação do SESI oferecem soluções para reduzir número de acidentes de trabalho e doenças na atividade laboral, de acordo com as necessidades de cada empresa

A tecnologia tem sido uma eficaz ferramenta na prevenção e solução de problemas na área de segurança e saúde do trabalhador. Por meio dela, oito Centros de Inovação SESI têm ajudado empresas a criarem um ambiente de trabalho mais saudável e seguro, com reflexos positivos na produtividade.

Instalados em diferentes regiões do país, cada um dos Centros de Inovação SESI possui uma equipe técnica multidisciplinar dedicada a uma linha de pesquisa específica em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) e Promoção da Saúde.

Em Santa Catarina, plataforma SEIF protege operários na obra do maior edifício da América Latina

Eles atuam em rede e podem, por meio das unidades do SESI, atender empresas de todo o Brasil, oferecendo soluções para reduzir o número de acidentes de trabalho e doenças vinculadas à atividade laboral e para aperfeiçoar a saúde, a segurança e a performance dos funcionários.

A atividade dos Centros vai ao encontro da expectativa de grande parcela dos gestores do país: pesquisa realizada pelo SESI mostra que, para 76,4% deles, o tema da segurança e da saúde no ambiente de trabalho ganhará ainda mais importância na indústria brasileira nos próximos cinco anos.

De acordo com o diretor de Operações do SESI, Paulo Mól, isso ocorre não só por necessidade de atender a exigências legais. “O cuidado com o trabalhador melhora a competitividade das empresas ao reduzir afastamentos, além de refletir positivamente também no clima organizacional, na reputação e na imagem institucional”, afirma.

Inovação ao alcance de indústrias de todo o país

Os Centros de Inovação SESI desenvolvem soluções em parceria com empresas. Uma vez testadas nas indústrias parceiras, essas soluções são colocadas à disposição do mercado. E um dos exemplos mais bem-sucedidos encontra-se em Balneário Camboriú (SC), em Santa Catarina.

Lá, a construtora Pasqualotto & GT está construindo um complexo residencial formado por duas torres de 81 andares cada uma – o equivalente a 280 metros de altura. Quando estiverem concluídos, em 2020, os edifícios serão os maiores da América Latina.

E tão impressionante quanto a própria construção é a tecnologia adotada para garantir a segurança dos 300 trabalhadores envolvidos na obra. Conhecida como SEIF (Segurança, Informação e Formação), a solução foi desenvolvida pelo Centro de Inovação SESI em Tecnologias para a Saúde.

Na SEIF, sensores embutidos em capacetes de trabalhadores e cones mapeiam situações de risco no ambiente de trabalho. As informações são enviadas direto aos celulares dos gestores de segurança e saúde da empresa. Dessa forma, eles podem tomar decisões em tempo real – por exemplo, impedir o acesso a determinada área da obra, se for necessário.

Além de contribuir para atender aspectos legais de segurança e saúde no trabalho, essa tecnologia mapeia o comportamento dos trabalhadores na obra e, em caso de irregularidades, também verifica a necessidade de treinamentos" Marcelo Tournier, diretor do Centro de Inovação do SESI em Tecnologias para a Saúde

De acordo com Marcelo Tournier, diretor do Centro de Inovação do SESI em Tecnologias para a Saúde, a inovação está em fase de testes, mas já despertou o interesse de outras construtoras e de empresas dos setores de mineração e siderurgia. A previsão é que a SEIF seja disponibilizada no mercado ainda em 2018.

Marcelo Tourier: solução que inclui capacetes com sensores estará disponível ao mercado ainda em 2018

Além da SEIF, outras 19 projetos piloto já foram testados nos Centros de Inovação SESI, em parceria com mais de 40 empresas de diferentes portes e segmentos. Entre elas, Mercedes-Benz, Kimberly, Paranapanema, Gerdau, MRS Logística, Cerbrás, Bruning, Alibem, Herc, Rede Globo, Metalúrgica e Fundição Tiger, Renault, Vale, CCR e Softplan.

Dessa forma, a atividade dos Centros de Inovação SESI reforça o objetivo do Sistema Indústria de antecipar o futuro para a indústria brasileira, trazendo para o presente as tecnologias que vão determinar a competitividade das empresas nos próximos anos.

Plataforma Nacional de Soluções: um acesso fácil à Indústria 4.0

Para apoiar indústrias em desafios de segurança e saúde no trabalho, o SESI criou um canal na internet – o site Inovação Sesi – para as empresas conhecerem melhor as soluções desenvolvidas pelos oito Centros de Inovação SESI.

Por meio do site, o SESI explica de forma bastante clara as soluções ofertadas, mostrando para que serve cada uma, que problemas resolve e os resultados e prazos previstos para obtenção de resultados.

Por lá, também é possível solicitar apoio da instituição em demandas por novos projetos de inovação voltados à melhoria da saúde do trabalhador e do ambiente de trabalho. Basta acessar o site, inserir os dados da empresa e descrever problemas a serem solucionados.

Edital de Inovação para a Indústria apoia o desenvolvimento de novas ideias

Os Centros de Inovação SESI também participam do desenvolvimento de projetos aprovados no Edital de Inovação para a Indústria, iniciativa de incentivo à inovação na indústria brasileira, promovida em parceria por SESI, SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

O edital abre espaço para que indústrias de todos os portes, inclusive startups de base tecnológica, possam colocar em prática ideias inovadoras, que atendam às demandas dessas indústrias e possam ser disponibilizadas para o setor ao fim do desenvolvimento.

As empresas podem enviar projetos que se encaixem em cinco categorias, de acordo com o perfil da necessidade de cada uma. Para o atendimento das demandas de relacionadas à SST e Promoção da Saúde, o SESI disponibiliza duas linhas no âmbito do Edital de Inovação para a Indústria.

Os resultados são anunciados periodicamente e as ideias não aprovadas podem ser aprimoradas e reenviadas. Dessa forma, desde que foi criado, em 2004, o Edital de Inovação para a Indústria já beneficiou cerca de 900 projetos, de 600 empresas atuantes em mais de 20 setores de atividades.

Em 2018, SESI, SENAI e Sebrae vão investir até R$ 55 milhões para o desenvolvimento de projetos, que podem ser postos em prática pelas empresas com o apoio de especialistas dos Centros de Inovação SESI, dos Institutos de Inovação e Tecnologia do SENAI e do Sebrae.

Torneio de Robótica leva aos jovens a cultura da inovação

Para o SESI, no entanto, o futuro tecnológico começa bem antes da inserção no mercado de trabalho. Os jovens de 9 a 16 anos são o público-alvo de outra importante iniciativa da instituição no diz respeito à inovação: o Torneio de Robótica FIRST® LEGO® League.

Desde 2013, o SESI é o operador oficial no Brasil do programa internacional de exploração científica. O Torneio apresenta aos jovens o mundo da ciência e da tecnologia de forma divertida, desafiando-os a construir e programar robôs feitos inteiramente com peças da tecnologia LEGO® Mindstorm®.

Para participar, os estudantes se reúnem em times de dois a 10 integrantes (liderados por dois técnicos adultos) para investigar problemas e buscar soluções inovadoras. Esses times podem estar associados a uma escola, um clube, uma organização ou simplesmente ser formado por um grupo de amigos.

Com o tema Hydro Dynamics, a temporada 2017/2018 propôs aos competidores que identificassem problemas relacionados ao uso da água – na produção de alimentos ou de energia, por exemplo – e, a partir daí, busquem e apresentem uma solução inovadora.

Alunos durante competição do Torneio de Robótica, realizado pelo SESI desde 2013

Uma equipe de 10 alunos de 11 e 12 anos, do Gama, no Distrito Federal, por exemplo, inventou o "Pipi" (o nome é uma homenagem à letra do alfabeto grego usada na matemática), um composto líquido que substitui a descarga no vaso sanitário.

Junto com o professor do SESI, eles desenvolveram e testaram a solução que pode gerar uma economia de até 4.320 litros por mês numa família de quatro pessoas. O “Pipi” fez tanto sucesso que acabou virando tema de matéria do Jornal Nacional, da TV Globo.